Aprender a Pensar com Lógica para Sobreviver com Qualidade
Learning to Think with Logic in Order to Survive with Quality

Learning to Think with Logic in Order to Survive with Quality

Jacinto Jardim, CEG – CIPSH, Aberta University

“People don’t like to think. When someone thinks, he comes to conclusions. And the conclusions are not always pleasant. ” Helen Keller (1880-1968)

The World Logic Day, celebrated on January 14 at the initiative of UNESCO, reminds us of the importance of thinking. In this sense, the question arises: Is it possible for human beings to survive with quality if they lack the conditions to doubt and ask questions, to debate and criticize?

Observing the stages of human development, it appears that being a person means learning the art of thinking in a rational way.

For example, children, through stories, are amazed by plots that leave in their memory indelible signs of logical thinking, since these stories have a beginning, a middle and an end.

Teenagers, too, with a fertile imagination, create and dream of extraordinary characters and scenarios. And it is precisely the expansion of these dreams which will allow original and valuable inventions and creations.

In turn, young people and adults improve communication, teamwork and networking. And in this continuous improvement, which allows them to be successful in their personal, social and professional life, the use of logical thinking is essential, which is evident in the coherence of language, in the sequence of arguments and in the global sense of words. For this reason, it is not possible for human beings to survive in today’s digital, cognitive and complex society if they do not learn the art and science of thinking.

Facing the unpredictability of history and the complexity of human interactions presupposes valuing the human sciences. Yes, numbers matter, but words count too. Yes, statistics are valuable, but the arts are also very valuable. Yes, technologies are necessary, but education and culture are also essential. Yes, the exact sciences matter, but the humanities are also fundamental.

 

Thus, it is necessary to globally promote the act of thinking with logic in order to allow surviving with quality. For this purpose, it is necessary to create the conditions and dispositions to doubt and ask questions, to debate and criticize. And for this the humanities are highly effective.

Aprender a Pensar com Lógica para Sobreviver com Qualidade

Jacinto Jardim, CEG – CIPSH, Universidade Aberta

“As pessoas não gostam de pensar. Quando alguém pensa, chega a conclusões. E as conclusões nem sempre são agradáveis.” Helen Keller (1880-1968)

O Dia Mundial da Lógica, comemorado a 14 de Janeiro por iniciativa da UNESCO, recorda-nos a relevância do ato de pensar. Nesse sentido, coloca-se a pergunta: É possível ao ser humano sobreviver com qualidade se não forem reunidas as condições para duvidar e perguntar, para debater e criticar?

Observando as fases do desenvolvimento humano constata-se que ser pessoa significa aprender a arte de pensar de um modo racional.

Por exemplo, as crianças, através das histórias, deixam-se espantar por enredos que deixam na sua memória sinais indeléveis do pensamento lógico, uma vez que essas histórias têm um princípio, um meio e um fim.

Também os adolescentes, com uma imaginação fértil, cogitam e sonham com personagens e cenários extraordinários. E é precisamente a expansão desses sonhos, que permitirão invenções e criações originais e de valor.

Por sua vez, os jovens e os adultos aperfeiçoam a comunicação, o trabalho de equipa e o networking. E nesta melhoria contínua, que permite ser bem-sucedido na vida pessoal, social e profissional, revela-se essencial o recurso ao pensamento lógico, que fica patente na coerência da linguagem, na sequência da argumentação e no sentido global das palavras. Por isso mesmo, não é possível ao ser humano sobreviver na atual sociedade digital, cognitiva e complexa se não aprender a arte e a ciência de pensar.

Enfrentar a imprevisibilidade da história e a complexidade das interações humanas pressupõe valorizar as ciências humanas. Sim, interessam os números, mas também contam as palavras. Sim, tem valor a estatística, mas também valem muito as artes. Sim, são necessárias as tecnologias, mas também são essenciais a educação e a cultura. Sim, importam as ciências exatas, mas também são fundamentais as ciências humanas.

Assim, há que promover globalmente o ato de pensar com lógica para sobreviver com qualidade. Para isso há que criar as condições e disposições para duvidar e perguntar, para debater e criticar. E nisso as ciências humanas são altamente eficazes.

 

 

%d bloggers like this: